Corte de cabelo infantil: entre a vontade das crianças e o desejo dos pais

Hairstylist explica aos pais como acertar na escolha do corte de cabelo das crianças

Sofia com o novo corte: um chanel assimétrico com costeletas

As dicas de hoje são para os pais que têm crianças maiores, e o assunto é o corte de cabelo! Às vezes fico admirada ao ver os cortes das crianças nas ruas, afinal, muitas não têm medo de ousar! Segundo o hairstylist Paulinho Tristano, de Curitiba (PR), hoje em dia, as crianças estão bem exigentes e fazem questão de expor suas vontades.

Então, até que ponto podemos deixar nossos filhos escolherem o corte de cabelo? E será que também é importante colocarmos um limite nessa decisão? O hairstylist diz que tem notado uma grande mudança no perfil das crianças. Segundo ele, as crianças com idade acima dos cinco anos costumam saber muito bem o que querem e já não aceitam a opinião dos pais e, muito menos, dos profissionais. “A criançada está muito decidida e faz com que os pais respeitem suas vontades. Geralmente, elas se inspiram em algum personagem da televisão e não sossegam até que estejam com o corte semelhante”, relata.

Para o hairstylist, tudo é permitido no corte infantil desde que a criança se reconheça no espelho e saia feliz do salão. “Há alguns meses, atendemos uma cliente de quatro anos, a Sofia, que chegou até o salão com um corte médio com franja, bastante comum. Ao sentar na cadeira, ela explicou que queria mudar para um cabelo chanel assimétrico com costeletas. O corte ficou lindo e ela saiu realizada do salão”, comenta.

É importante os pais encontrarem o equilíbrio entre a vontade dos filhos e o que sabem que combina com eles. Segundo Paulinho, atualmente, os meninos têm gostado muito do corte undercut (com as laterais do cabelo mais curtas) e as meninas têm deixado de usar os cabelos retos, variando os comprimentos e aderindo a camadas irregulares.

Dicas para os pais acertarem nos cortes infantis:
– Optar por cortes de fácil manutenção, que não exijam da criança ou dos pais muito tempo para ser arrumado.
– Nunca deixar o comprimento ou estilo do corte atrapalhando a visão. Deixar as franjas médias e longas de lado.
– Resistir à tentação de cortar a franja em casa, com a tesoura de papel, para poupar o tempo de ir ao cabeleireiro. É um erro que leva muito tempo para ser consertado.
– Respeitar o estilo e personalidade da criança, pois elas sabem o que querem e não podemos forçar a nossa vontade.
– Saber deixar para depois. A criança pode ir até o salão, ficar nervosa e não querer cortar. Neste caso, o melhor é não forçar para não criar nela o medo de ir ao cabeleireiro.

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

4 comentários em “Corte de cabelo infantil: entre a vontade das crianças e o desejo dos pais”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.