viagem Olimpia

Como foi a viagem para Olímpia

Quem tem bebê ou criança pequena sabe que tirar férias nem sempre são “férias” de verdade porque, dependendo da viagem, a gente acaba voltando ainda mais cansada (risos). Mas quando minha família (sogros, cunhados, sobrinhos) nos convidou para viajar para a cidade de Olímpia (SP), onde fica o Parque Aquático Thermas dos Laranjais, fiquei bastante animada porque sempre ouvi falar que este é um lugar muito bacana para ir com as crianças, principalmente pelas águas quentes!

Esse passeio aconteceu em 2014 e esta foi a primeira viagem que fiz com o meu filho Serginho, na época com sete meses de idade. Ficamos hospedados no Tuti Resort, o único resort que tem acesso direto para o parque aquático, o que é bem legal porque não precisamos sair de carro. De dentro do hotel mesmo tem uma passagem para o parque (com rampa, o que facilita bastante as idas e vindas com o carrinho de bebê)!

Com base na minha experiência e nas de outras mães que conversei durante os seis dias que estive no Tuti Resort decidi escrever esse post para contar o que foi bacana (e o que não foi) do serviço prestado pelo hotel (Veja abaixo a resposta do resort para os pontos negativos). Aí vai:


Acomodações (
+)
Os quartos são espaçosos como se fosse um apartamento de quarto e sala, com varanda. O hotel oferece berço (daqueles desmontáveis no estilo chiqueirinho) e banheira para quem tem bebê, o que é ótimo! O Serginho já estava acostumado a dormir nesse tipo de berço e foi tranquilo. Um detalhe: o hotel pede para avisar no momento da reserva a necessidade desses itens.

Copa da mamãe (+)
Essa estrutura ajudou bastante. Vários andares dos quartos do resort têm uma copinha para apoio dos papais e das mamães. A copa é equipada com pia, micro-ondas, fogão elétrico e panelas. Usei bastante o local para fazer a mamadeira da noite do Serginho e para lavar os apetrechos do bebê (mamadeiras, potinhos, colherinhas etc).

Papinhas fresquinhas (+)
Como a viagem de São Paulo para Olímpia é de até seis horas e como eu não sabia que tipo de frigobar teria no quarto, decidi não levar as papinhas feitas em casa para o Serginho. Quando cheguei ao restaurante do resort perguntei se eu poderia pegar da cozinha alguns legumes cozidos (sem tempero) para dar para o bebê e foi então que tive uma boa surpresa. A funcionária explicou que eles faziam as papinhas para os bebês (com pouco tempero e com legumes bem cozidos) e que bastava eu dizer o que gostaria que incluíssem. Isso facilitou bastante a minha vida. Toda vez que chegávamos para almoçar ou jantar eu pedia a papinha feita na hora. E o Serginho aprovou, comeu tudinho! rs rs rs

Frigobar (-)
O frigobar foi assunto para muitos pais e mães que encontrei no resort porque com criança sempre temos algo para colocar na geladeirinha, seja suco, iogurte ou frutas, por exemplo. O fato é que o hotel não permite o uso do frigobar se não for para consumir os produtos que eles vendem. Acontece que vários hóspedes receberam recadinhos informando que seriam cobrados por colocarem coisas lá dentro e que se quisessem utilizar de forma exclusiva (sem os produtos do hotel) deveriam pagar uma taxa de R$ 50,00. Conheci até um casal que estava com uma criança com deficiência e que precisou levar a comida congelada da menina na viagem porque ela não pode comer qualquer coisa. Fiquei indignada ao saber que o resort cobrou dessa família o uso do frigobar!

Piscinas (-)
O resort tem várias piscinas bacanas para a gente aproveitar durante o dia e a noite, tanto para adultos quanto crianças. Na semana em que ficamos hospedados, teve um dia que decidimos não ir para o parque e ficar no hotel. Ficamos surpresos porque às 10 horas da manhã a piscina ainda estava fria (e por isso não pudemos entrar na água com o bebê). Perguntamos para um funcionário porque a piscina estava fria e fomos informados que eles haviam demorado a ligar o aquecedor.

Alimentação (-)
Uma coisa que me chamou a atenção foi o “menu infantil” oferecido no almoço e no jantar como opção para as crianças (além do menu principal bastante variado). Esse cardápio incluía batata frita, hambúrguer, nuggets e outras frituras, o que não é nada saudável e, por isso, senti que faltaram opções mais saudáveis e criativas para as crianças. Outro ponto que senti falta foram opções de sucos naturais e frutas para dar para o bebê. Somente no café-da-manhã era oferecido suco natural, mas nem sempre podíamos dar para o pequeno porque em muitos dias o suco era de maracujá (perguntamos se havia outros sucos e fomos informados que o suco à parte era R$5,00). Quanto às frutas, fora o café-da-manhã que tinha mamão e, às vezes, banana, nas outras refeições as opções não ajudavam na alimentação do bebê (melão e melancia não dão para amassar!)

Proibição: Esse foi o ponto que me deixou mais insatisfeita. Nos restaurantes do hotel havia um recado para os hóspedes informando que não era permitido sair do local com qualquer tipo de alimento ou bebida, inclusive nas mamadeiras! Percebi isso quando fui sair do restaurante após o café-da-manhã segurando uma maçã que eu ia dar para o Serginho. Simplesmente fui barrada e tive que devolver a fruta! Foi uma situação muito constrangedora e que deixou a mim e aos meus familiares muito indignados, já que a política do local impede que os hóspedes levem do restaurante qualquer coisa, até mesmo se for para dar a um bebê.

Queridos leitores, espero que minha experiência e avaliação sejam úteis para você na hora de escolher um local para viajar com seus filhos. Às vezes alguns pequenos itens fazem toda a diferença para a viagem ser mais prazerosa e tranquila, não é mesmo?
Beijos, da Mamãe Prática Fabi


Veja a resposta, na íntegra, enviada pelo Tuti Resort ao blog Mamãe Prática sobre os pontos que questionamos:

Frigobar:
O serviço do frigobar é terceirizado pela empresa Plenus da cidade de Americana-SP e no momento do check-in todos os hospedes recebem um informativo, avisando das normas do frigobar. A cobrança somente se faz quando é solicitado a retirada de todos os produtos do frigobar.

Piscinas:
Neste período, o interior paulista, especificamente nossa região Olímpia, Barretos, São José do Rio Preto e Catanduva estão com altas temperaturas climáticas e todo equipamento de aquecimento, nesta época, torna-se algo sem muita preocupação, pois a própria temperatura da água no período noturno não ultrapassa o mínimo de 27 graus e logo pela manhã iniciam-se as atividades na piscina com hidroginástica às 10h, já com a piscina aos 32 graus.

Alimentação:

  • Existe no informativo distribuído por nós do restaurante, com orientações, que se o hóspede não encontrar ou necessitar de um alimento específico que não atenda suas necessidades, acionar a nutricionista de plantão, solicitar o alimento e dieta específica, que se possível será atendida. Quando solicitado estes pedido quase sempre são atendidos.
  • Temos muitos casos de pessoas diabéticas, alérgicas a diversos alimentos, dietas de pessoas operadas etc.
  • Quanto aos alimentos serem proibidos ao sair do restaurante, isto realmente acontece, por motivo de controle alimentar e o hóspede entender que o restaurante está à disposição para consumo de alimentos dentro do mesmo, pois já imaginou o pessoal levando lanchinhos, bolos, pães, frutas pra comer depois, será que todos teriam a preocupação de armazenar corretamente os alimentos em seus apartamentos, por isto a proibição.
  • Frutas: muitas vezes o hóspede acha que não tem [determinada fruta] porque o restaurante quer economizar ou mesmo porque não tem mesmo. Frutas são sazonais, ou de época, este ano tivemos um ano muito ruim para as frutas nos cinturão verde de nossa região. O padrão das frutas caiu muito, estão muito ruins, não adianta comprar e colocar para consumo. O hóspede reclama de qualquer jeito, mas os padrões normais de frutas são: – café da manha: melancia, melão, abacaxi, mamão, maçã, banana. – Por exemplo, estamos com safra boa de caqui, então temos caqui no café da manha. – Refeições: duas opções [de frutas]. – A fruta: Se este hóspede tivesse pedido, sem problemas, mas a regra é a seguinte: solicita se a fruta que é de necessidade, a gente embala e leva no apartamento solicitado.
  • Comidas crianças: realmente são estas opções, pois são as que mais agradam e atendem as necessidades e o gosto das crianças, se mudarmos teremos problemas.
  • Comunicação: o que falta um pouco é o hóspede se comunicar com o restaurante, pedir, conversar se tem como fazer, porque não fazer…

Queridas, espero que minha experiência seja útil para vocês.

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

 

6 comentários em “Como foi a viagem para Olímpia”

    1. Oi Melina! Nesse calor parque aquático é realmente uma delícia. Sim, algumas coisas deixaram a desejar na hospedagem, mas eu até iria de novo rs rs, bjs Fabi

    1. oi Erica, não achei muito barulhento não… O meu quarto não era virado para a piscina e foi bem tranquilo. Outros amigos estavam em quarto direto para a piscina e não comentaram nada. Claro que vai depender do período, se o resort estiver muito lotado ou não. Boa viagem! Depois conta aqui o que você achou para dividir sua opinião com outras mamães também. Beijos, Fabi

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.