Arquivo da tag: meu filho não come

Alimentação: dez dicas para manter boa comunicação com seu filho na hora da refeição

A alimentação infantil lúdica e afetiva tem sido tema constante aqui no blog. Se você já nos acompanha há bastante tempo já teve ter ouvido falar também dos nossos outros dois projetos, o curso online do Criando AMORas (onde a Mari atua como coach de mães e mentora em Conexão Mães e Filhos Por Meio da Alimentação Saudável) e a Loja Mamãe Prática, da Fabi, que tem como tema a Cozinha Divertida).

Continue lendo Alimentação: dez dicas para manter boa comunicação com seu filho na hora da refeição

Criança na cozinha: 12 dicas para estimular seu mini chef

Criança na cozinha. Pode? “Qual a idade ideal para levar os filhos para cozinha? Você coloca sua menina em pé na cadeira?”. “Meu filho só tem 1 aninho, quando será que posso começar?”

Continue lendo Criança na cozinha: 12 dicas para estimular seu mini chef

Comida criativa: 13 ideias para estimular seu filho a comer melhor

Aumentar o repertório alimentar da minha filha Manuela sempre esteve entre as minhas preocupações, mesmo para uma mãe que antigamente não sabia cozinhar nada, nada mesmo. E a comida criativa e divertida também me ajudou muito!

Separei pra você 13 ideias de comida criativa com frutas, legumes e verduras criadas por mim para o projeto e curso online Criando AMORas,  que ajuda as famílias a ampliarem o repertório alimentar dos seus filhos.

13 Comidas Criativas para estimular seu filho a comer melhor

1.Borboleta salgada
Utilizei pimentão amarelo, arroz cozido, tomate grape, partes da salsinha (olhos e “anteninha”) e damasco (boca).  Não achei que ficou tão bonito assim, mas o que vale é a intenção. Não precisa ser perfeito, o importante é a criança experimentar.

2. Borboleta de frutas
Já essa borboleta de frutas foi feita com manga, uva e maçã. Usei cortadores de coração para as asas e cortadores redondos para o miolo da flor.


3. Coelho amarelinho
Essa fofura foi feita com arroz amarelinho (com açafrão), beterraba, ovo, tomate, pimentão vermelho e pimentão amarelo, além de pepino, cenoura assada e cenoura crua.

4. Centopeia
Essa centopeia foi passear em um lindo dia de sol! Usei batata doce assada no forno, pepino, alface, azeitona, cenoura e tomate.

5. 
Flor rosa
Essa flor é muito simples de fazer. Usei cenoura, panqueca de beterraba (com cortador de coração), cebolinha, folhas de hortelã e espinafre refogado.

6. Flor amarela
Adoro fazer flores por serem simples e super-rápidas de fazer, além de possibilitar trazer ingredientes como nessa flor: batata doce (assada no forno), tomate cereja, vagem (cozida) e rúcula. A variação de alimentos e sabores nesse tipo de composição é muito grande.

7. Gato
Aqui misturei abacaxi, melão, melancia, uva e uva passa com tomate grape, pepino japonês e couve-manteiga. Você também pode usar cenoura cortada em tiras bem fininhas no lugar da couve-manteiga, por exemplo. Pra fazer o focinho de melancia, usei um cortador redondo.

8. Leão
Para fazer esse leão, usei mexerica, abacaxi, banana, cenoura, azeitona e couve-manteiga. Outra ideia é usar uva passa quando for fazer os olhos (no lugar da azeitona) e cebolinha, daquela mais fininha, no lugar da couve-manteiga.

9. Palhaço
Cara de palhaço feita com panqueca, cenoura ralada, beterraba, ovo, azeitona, pinhão e panqueca rosa. Também usei caneta alimentícia.

10. Peixinho
Simpático peixinho feito de panqueca, ovo, tomate, beterraba e azeitona. Com pinhão, tomate e panqueca rosa para enfeitar.

11. Pintinho de chapéu
Aqui usamos ovo cozinho, cenoura crua (em fatia) e cenoura ralada, além de cebolinha, chia e tomate. Com couve flor pra enfeitar o prato.

12. Porquinho rosa
Ele é a atração do nosso workshop para público adulto. Usei panqueca rosa (com beterraba), cenoura, tomate, espinafre e uva passa.

13. Sapo verde
Usei panqueca verde (de couve-manteiga), cenoura, pepinos (caipira e japonês), azeitona, panqueca tradicional (para montar a coroa que fiz com cortador), tomate cereja e repolho roxo (para o sorriso lindo desse sapinho feliz). PS: Ele faz MUITO sucesso com as crianças nas nossas oficinas infantis.

O que você achou dessas ideias de comida criativa? Veja que aqui a proposta não é você fazer o melhor e mais perfeito desenho para o seu filho. O sabor, as cores no prato, a variedade de texturas e o amor naquilo que você faz é o que mais contam!

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Meu filho não comeAlém de editora do blog Mamãe Prática, Mariana Branco é mãe da Manuela, coach de mães e mentora no curso online do Criando AMORas em Conexão Mãe e Filho Por Meio da Alimentação. A partir da sua experiência em ministrar oficinas infantis presenciais com Comidas Criativas e Divertidas, do sucesso na educação alimentar da sua filha e com base em estudos constantes em torno da dificuldade alimentar infantil, ajuda mães a vivenciarem refeições mais felizes e a criarem filhos motivados a experimentar e comer melhor. Saiba mais: www.criandoamoras.com.br 

PS: Acesse também o meu eBook gratuito para mães: MEU FILHO NÃO COME – 3 Revelações Para Seu Filho Comer Melhor Que Estão Dentro de Você.

Foto/Abertura: blog Mamãe Prática
Na foto de abertura, a minha linda Manu mostrando a sua criação durante a nossa oficina infantil.

Nossos projetos ligados à alimentação infantil

Loja Mamãe Prática – marmitas, lancheiras, garrafinhas, cortadores e utensílios para lanchinhos e comidas divertidas
Criando AMORas – como fazer seu filho comer com prazer alimentos variados e saudáveis

Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

6 dicas para você fazer seu filho comer de tudo

Olá meninas, seu filho faz cara feia diante dos alimentos? Detesta seguir uma dieta saudável? Pensando nos pais que têm crianças muito seletivas, pedimos para a nossa colunista, a psicóloga infantil Ana Flávia Fernandes, elencar dicas para ajudar os pais com filhos muito seletivos ou que estão começando a conhecer o sabor e as texturas dos alimentos. Se você deseja que seu filho coma de tudo, vale checar essas 6 dicas para as crianças manterem uma dieta saudável! Com a palavra, a Ana Flávia:

Continue lendo 6 dicas para você fazer seu filho comer de tudo

Filho que não come: entenda as causas da perda de apetite

Olá meninas! O tema desse post é falta de apetite, ou seja, aquele momento em que seu filho se recusa (de todas as formas) a comer. Você já passou por isso aí na sua casa? Nesse post vou explicar quais são as principais causas da perda de apetite nas crianças e o que podemos fazer para melhorar essa situação.

Vou te contar que por aqui a fase da introdução alimentar, após os seis meses, foi bem tranquila e continuou assim até por volta dos dois anos. Serginho adorava as sopinhas salgadas e papinhas de frutas, e quando passou a fazer as mesmas refeições da família mandava ver nas pratadas de arroz, feijão, legumes, carnes, macarrão e até salada. Só que…

Depois de um tempo ele começou a dizer não para vários alimentos e a se recusar a experimentar novos. Até mesmo aqueles que ele adorava como tomate, macarrão e feijão começou a dizer “eca”. Percebi que a comida já não era mais novidade para ele, ficar sentado à mesa por meia hora parecia uma tortura e tudo o que ele queria era brincar e fazer outras coisas, mas não comer.

Se você também já passou por isso na sua casa ou está vivendo essa situação, provavelmente sabe como é angustiante ver um filho que se recusa a comer e a dificuldade de lidar com isso. Que desespero!

O que fazer? Brigar não adianta, forçar a comer é pior ainda.

Uma coisa que a gente precisa entender é que após os primeiros anos de idade, a velocidade de crescimento da criança diminui bastante. Com isso, a demanda por nutrientes e a necessidade de ingestão alimentar também diminuem, fazendo com que ocorra uma perda natural de apetite (se antes seu filho comia muito e de tudo, agora ele pode passar a comer uma quantidade menor). Soma-se a isso o fato da comida não ser mais novidade e agora tudo que a criança quer é explorar, ainda mais, o mundo.

O que causa a falta de apetite
No entanto, percebi que a falta de apetite do meu filho é bem maior quando ele está doentinho com alguma gripe ou resfriado, por exemplo. Pensando nisso, fui pesquisar quais são as principais causas de falta de apetite nos bebês e nas crianças. Veja só:

  • Nascimento dos primeiros dentinhos (ou a troca dos dentes de leite), pois causam coceira e desconforto na gengiva.
  • Resfriados, gripes, dores de garganta e de ouvido, além de infecções respiratórias tendem a reduzir o apetite da criança porque, além do mal-estar, prejudicam a capacidade de sentir o sabor dos alimentos, diminuindo o interesse por eles.
  • Dias muito quentes e com muitas atividades tendem a fazer o apetite desaparecer e a atenção da criança é voltada para as demais interações durante o dia (principalmente se estamos na praia, na piscina ou em um passeio ao ar livre, por exemplo).
  • A introdução de novos alimentos pode gerar certa resistência e fazer com que a criança fique sem querer comer por algum tempo.
  • À medida em que a criança está crescendo e começa a conhecer diferentes alimentos, como doces, bolos, chocolates, a tendência é que ela se torne progressivamente mais seletiva e comece a escolher o que quer comer. (É aí que entra a nossa paciência para ensinar que tudo tem sua hora e lugar, por exemplo, não dá para comer todo dia chocolate, mas quem sabe no final de semana ou na festinha?).

Como reverter a situação
Essas são algumas medidas e estratégias que venho adotando aqui em casa (e que tem funcionado) para reverter a perda de apetite no meu pequeno:

  • Mantenha um intervalo de cerca de duas horas entre as refeições para que a criança esteja com fome na hora de comer.
  • Evite pratos muito cheios. Melhor a criança comer uma porção menor e ser parabenizada/ incentivada por ter se alimentado, ao invés de ser recriminada por não ter comido tudo. Além disso, é preferível que a criança coma pequenas porções várias vezes ao dia, do que uma quantidade muito grande uma única vez e passe muito tempo sem querer comer mais nada.
  • Ofereça sempre novos alimentos. Estudos mostram que é necessário oferecer um mesmo alimento pelo menos 10 vezes para que a criança aceite e se acostume com ele. Assim, não se deve desistir após uma ou duas tentativas. Espere um tempo e volte a oferecer o mesmo alimento, tentando em formas e consistências diferentes.
  • Evite oferecer muito líquido durante as refeições, pois eles preenchem o estômago e diminuem ainda mais o apetite.
  • Não obrigue a criança a comer a todo custo. Isso pode deixá-la mais irritada e reduzir ainda mais o apetite, além de desencadear uma relação ruim com a comida e a hora de comer.
  • Respeite a saciedade. Claro que é um alívio ver a criança “limpar todo o prato”, mas às vezes queremos que eles comam mais do que realmente precisam. Se seu filho disser que não quer mais, observe se ele já está satisfeito.
  • Se a criança estiver doentinha, ofereça alimentos que ela goste e que sejam fáceis de engolir. Aqui em casa purê de batata e canja de galinha são sempre boas opções!
  • Procure variar o cardápio e oferecer alimentos com sabores e texturas diferentes. Cinco cores diferentes deixam o prato mais saboroso, nutritivo e atraente!

Sinal de alerta
É importante dizer que estamos falando aqui da falta de apetite temporária, ou seja, algo passageiro que não esteja comprometendo a saúde da criança.

A ingestão inadequada de nutrientes durante a infância pode influenciar o desenvolvimento físico e intelectual por toda a vida, por isso, se você perceber que a falta de apetite do seu filho é persistente é importante procurar um pediatra para fazer uma avaliação.

A longo prazo a falta de apetite (e de uma alimentação adequada) pode estar relacionada à problemas como baixa estatura, baixo ganho de peso, além de doenças como a anemia que se caracteriza pela deficiência do ferro no organismo.

A boa notícia é que com o passar do tempo a tendência é que o apetite dos pequenos melhore, principalmente na fase da pré-adolescência/ adolescência quando o corpo passa por outras transformações. Tenho sobrinhas que deram trabalho para comer quando pequenas e hoje com quase 15 anos comem de tudo!

Gostou das dicas? Então vamos juntas levar essas informações a mais famílias que estão lidando com as mesmas dificuldades. Compartilhe esse post com suas amigas e amigos.

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto: Freeimages.com/ Andreas Schmidt
Fontes consultadas: Bibliomed, Biotonico Fontoura, Conversando com o Pediatra, Pediatra Orienta

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!